ADIADO: Compra do terreno para estádio próprio enfrenta obstáculos

Perto da data limite (04 de janeiro) para decidir se compra ou não um terreno em Manguinhos para construir seu estádio, o Flamengo deve pedir a prorrogação do prazo para exercer a compra. A informação é do jornal O Globo, que também disse que o projeto de como seria o estádio ainda não foi feito, mas que o clube já contratou um arquiteto para desenhar a futura casa rubro-negra.

 No entanto, o principal entrave para a construção de um estádio no local seria um viaduto que deve começar a ser construído em janeiro e que vai passar em uma rua em frente ao terreno, inviabilizando a obra. O Flamengo tenta alterar parte do trajeto e vem se reunindo com a Ecoponte e órgãos da Prefeitura em busca de uma solução.

— Tenho tido reuniões quase que diárias com os vários órgãos ligados à questão do estádio. Já estivemos com a Ecoponte. O negócio está caminhando bem, e temos uma perspectiva positiva. Mas ainda estamos negociando. Não tem nada definido. Ainda estamos fazendo os estudos — disse Alexandre Wrobel, VP de patrimônio do clube.

Projeto do Estádio do Flamengo

Mesmo com otimismo da parte do Flamengo, a reportagem diz que o clube já avalia outros terrenos para erguer seu estádio, mas não citou os locais.

 Uma outra coisa importante é o dinheiro que o Flamengo precisa para construir sua casa. Nesta segunda (11), será votado no Conselho Deliberativo a venda do Edifício Hilton Santos, no Morro da Viúva, avaliado em R$112 milhões. O clube deve receber em torno de R$ 130 milhões.

Desse montante, R$ 26 milhões seriam recebidos no ato da compra e investidos no CT, outros 30% seriam de empreendimentos do prédio (o rubro-negro seria dono de 42 apartamentos). A expectativa é que essa permuta seja usada no futuro para ajudar financeiramente na construção do estádio.

— A nossa expectativa é que esses 30% de permuta do prédio sirvam futuramente para ajudar a viabilidade financeira do nosso estádio próprio. Mas isso terá que passar pelo conselho deliberativo quando for a hora de investir no estádio — explicou Wrobel.